terça-feira, 12 de março de 2019

Combater o plágio na defesa do direito de autor

O plágio é, infelizmente, uma prática recorrente na execução de trabalhos assumindo-os como próprios, quando, definitivamente, são de autoria de outros. A Lei defende o Direito de Autor e Direitos Conexos aprovada pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março, e alterado pelas Leis n.ºs 45/85, de 17 de Setembro, e 114/91, de 3 de Setembro, e Decretos-Leis n.ºs 332/97 e 334/97, ambos de 27 de Novembro, pela Lei n.º 50/2004, de 24 de Agosto, pela Lei n.º 24/2006 de 30 de Junho e pela Lei n.º 16/2008, de 1 de Abril.

Significado
pla·gi·ar 
(plágio + -ar)

Copiar ou imitarsem engenhoas obras ou os pensamentos dos outros e apresentá-los como originais.

"plagiar", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/plagiar [consultado em 12-03-2019].


Segue o link para um artigo que dá conta de algumas ferramentas para "apanhar os plagiadores":



O assunto Plágio é muitas vezes abordado nas conversas entre professores. Cada vez mais, sente-se que a tarefa “simples” de copiar trabalhos é mais frequente do que julgamos. Antes de c…

sexta-feira, 8 de março de 2019

Feliz Dia da Mulher!


Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO por ocasião do Dia Internacional da Mulher 2019

img womens day 2 1
8 de março de 2019
O Dia Internacional da Mulher celebra este ano o contributo das mulheres para a sociedade – em especial no espaço digital - e propõe uma reflexão sobre a forma de garantir às mulheres o pleno usufruto dos seus direitos.
As tecnologias digitais têm influência sobre a forma como trabalhamos, aprendemos, ensinamos e vivemos juntos. Infelizmente, as mulheres nem sempre beneficiam plenamente desta revolução tecnológica. Na realidade, segundo um relatório recente da Comissão de Banda Larga para o Desenvolvimento Sustentável, desenvolvido em colaboração com a UNESCO, concluiu-se que o fosso digital entre homens e mulheres está a aumentar: em 2016, o número de homens on-line ultrapassava em 250 milhões o número de mulheres. As mulheres não só são menos conectadas como beneficiam menos da literacia e da formação digital, têm menos probabilidades de ser contratadas por empresas tecnológicas e, geralmente, a sua remuneração é menor do que a dos seus colegas do sexo masculino.
As mulheres estão em desvantagem, incluindo em algumas das áreas mais avançadas da ciência – tecnologias digitais e inteligência artificial. Assim, a título de exemplo, apenas 22% dos profissionais da inteligência artificial são mulheres. Este ano, a UNESCO ambiciona restabelecer o equilíbrio ao recordar as mulheres pioneiras que afastaram os limites do nosso conhecimento em áreas como a computação quântica, a inovação digital e a inteligência artificial. Ao destacarmos os sucessos destas mulheres, esperamos incentivar uma nova geração de jovens mulheres nos domínios da ciência, da tecnologia, da engenharia e da matemática (CTEM), onde ainda estão subrepresentadas. Trabalhamos para incentivar jovens raparigas e mulheres a optarem por estas áreas e, em particular, a desenvolverem as suas competências digitais através, por exemplo, do projeto "Girls Can Code", recentemente lançado.
No âmbito cultural, também apoiamos o acesso das mulheres à criação digital e promovemos a igualdade de género digital nas indústrias criativas, através da iniciativa "You are next". Em colaboração com Sabrina Ho, a UNESCO ajuda centenas de jovens mulheres do México, Palestina, Senegal, Afeganistão e Tajiquistão a adquirirem competências artísticas, digitais e empresariais indispensáveis ao seu sucesso no mundo digital.
Apesar destas iniciativas e da existência de muitos modelos femininos na esfera do digital, as mulheres estão, cada vez mais, a abandonar as plataformas on-line para se protegerem dos ciberataques e do assédio. Uma em cada dez mulheres da União Europeia afirma ter sido vítima de cyberbullying desde os 15 anos, um fenómeno particularmente frequente nas jovens mulheres com idades compreendidas entre os 18 e os 29 anos. A UNESCO, na qualidade de agência das Nações Unidas dedicada à informação e à comunicação, está na vanguarda da luta contra a discriminação de género e do assédio on-line e da luta para a eliminação de estereótipos que se difundem nos media.
Para fazer parte desta luta contra os estereótipos, convido-vos a juntarem-se ao movimento mundial #Wiki4Women. Na Wikipedia, apenas uma em cada seis biografias é dedicada a uma mulher. Ao criar ou completar biografias de mulheres extraordinárias nas esferas da cultura, da educação e da ciência, na Wikipedia, a UNESCO pretende conferir-lhes a existência digital que merecem. Baseando-se no sucesso da iniciativa “Edit-a-thon”, levada a cabo no ano passado, na sede da UNESCO, a Organização colabora novamente com a Fundação Wikimedia na promoção de oficinas “Edit-a-thon” no Cairo, em Deli, em Banguecoque, em Lima e em Almaty, assim como em Paris.
A UNESCO está empenhada em contribuir, de forma positiva e duradoura, para o empoderamento das mulheres e para a igualdade de género. Cada um de nós pode fazer a diferença, rejeitando o preconceito e a discriminação, garantindo que os espaços online sejam seguros para todos, celebrando as realizações das mulheres e incentivando a contribuição das mulheres na esfera digital e em todas as esferas da vida.
Audrey Azoulay

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Desfile de Carnaval Infantil - 2019

Desfile de Carnaval Infantil, próxima quinta-feira - 28 de fevereiro - pelas 10h00, sob o lema: 

"Do RIO ao MAR sem LIXO"



terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

A arte na infância



Na Sala Infanto-juvenil,esta semana, demos destaque aos livros sobre arte. Aprender com grandes mestres da pintura e desenvolver sensibilidades estéticas num processo criativo entre os mais novos.

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Exposição de pintura e escultura - MEMORIAL ARTÍSTICO - Memorial às vítimas dos Incêndios de Pedrógão Grande


Está patente na Biblioteca Municipal de Penela e Sala de Exposições do Auditório Municipal a exposição de pintura e escultura Memorial Artístico - Memorial às Vítimas do Incêndio de Pedrogão Grande.





"A Fundação Júlio Resende é Instituição privada reconhecida de utilidade pública e lugar de diálogo pluridisciplinar no âmbito da cultura contemporânea, reúne o espólio que o pintor Júlio Resende reuniu ao longo da sua carreira, iniciada nos anos 30.
A Fundação Júlio Resende e vários dos seus Fundadores apelaram a pintores e escultores que se juntassem, num gesto de solidariedade, em prol de Pedrógão Grande e que doassem uma obra de arte a ser exposta num memorial às vítimas.
Neste âmbito a Fundação associou-se à AVIPG – Associação de Vítimas dos Incêndios de Pedrógão Grande, que num ato de inclusão e efetivo conhecimento e partilha cultural com as populações afetadas, a AVIPG tem procurado divulgar as obras de arte deste Memorial, por forma a serem expostas nos municípios afetados pelo incêndio de 17 de junho de 2017, nomeadamente, Pedrógão Grande, Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos, Góis, Pampilhosa da Serra, Sertã e Penela."

ARTISTAS SOLIDÁRIOS: Adriana Henriques, Agostinho Santos, Albertino Valadares, Alírio, Alvarenga Marques, Ana Fernandes, Aníbal Lemos, Antónia Gomes, António Dias, António Andrade, António Gonçalves, António Mendanha, Armando Alves, Arnaldo Macedo, Artur Moreira, Augusta Albuquerque, Aurélio Mesquita, Avelino Leite, Beatriz Pacheco Pereira, Cabral Pinto, Carlos Barreira, Carlos Carreiro, Carlos dos Reis, Carlos Inácio, Carlos Marques, Catarina Machado, Constancia Nèry, Cristina Valadas, Diana Costa, Dulce Barata Feyo, Elizabeth Leite, Emília Viana, Eugénio Henrique, Eva Cláudia de Sousa Andrade, F. Araújo, Fátima Carvalho, Fernando Augusto Rocha, Filomena Silva Campos, Florentina Resende, Franchini, Francisco Casanova, Francisco Laranjo, Francisco Trabulo,Gemeo Luis, Glória Costa, Helder Carvalho, Helena Cordeiro, Helena Fortunato, Helena Leão, Henrique do Vale, Henrique Silva, Humberto Nelson, Ícaro, Isabel Lima, Isabel Mourão Alves, Joana Rego, João Barata Feyo, Joaquim Vieira de Magalhães, Joaquim Muchagata Duarte, José Augusto Castro, José Emídio, José Paiva, José Rosinhas, José Silva, Júlia Landolt, Júlia Pintão, Kinga Ogórek, Leonilda Coelho dos Santos, Lina Santos, Liseta Amaral, Luís Melo, Luísa Gonçalves, Luísa Prior, Manuel Casal Aguiar, Manuel Lima, Manuela Silva, Margarida Leão, Margarida Marinho, Maria da Paz Menezes, Maria de Fátima Vasconcelos, M. Manuela Mendes da Silva, Maria Rafael, Mário Bismark, Marta Aguiar, Marta Cristina M. T. Lopes, Marta Lima, Marta Peneda, Nettie Burnett, Norberto Jorge, Nuno Gandra, Otília Santos, Pedro Casal, Pedro Leite, Picueta, Renata Carneiro, Ricardo Fonseca, Rosa Godinho, Rui Alberto, Rui Anahory, Rui Ferro, Rui Mourão, Sílvia Simões, Sobral Centeno, Teresa Ricca, Victor Costa e Zulmiro de Carvalho.